Foto: Reprodução

O Bicho-da-Seda, livro de J. K. Rowling, é ainda melhor que seu antecessor

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Cormoran Strike está de volta! E eu também, depois de quase um mês empacado na leitura de O Bicho-da-Seda. Ih, se estava empacado, quer dizer que o livro é ruim? E J.K. Rowling escreve coisa ruim, meus amigos?

• Curta o Fica Quietinho no Facebook

O Bicho-da-Seda é o segundo romance que a autora da saga Harry Potter assina sob o pseudônimo de Robert Galbraith. Nesse volume, Cormoran é contratado por Leonora Quine para encontrar seu marido, um autor literário que desapareceu. Porém, durante a investigação, Cormoran descobre que Owen Quine, o autor, não estava apenas desaparecido.

• Siga o @FicaQuietinho no Twitter

Ele estava morto. Seu corpo foi encontrado em circunstâncias extremamente cruéis e o pior: igualzinho à morte do protagonista do seu último romance, ainda não publicado. Algo tão violento nunca antes visto na obra de Rowling. No mínimo, interessante.

Em seu último romance, chamado de Bombyx Mori (daí o título do livro: Bombyx Mori é uma espécie de bicho-da-seda), ele fala mal de meio mundo. E todos aqueles que foram retratados no livro passam a ser suspeitos do crime horrendo.

O Bicho-da-Seda é tão bom quanto seu antecessor, O Chamado do Cuco. E o que queríamos no primeiro livro se aprofunda no segundo: aqui a amizade entre Cormoran e Robin é mais explorada, além do desejo da garota em se tornar o Dr. Watson de Strike ser explicitado. Outro ponto bem trabalhado é a crise no relacionamento de Robin e Matthew.

Mas o ponto alto do livro fica mesmo nas sacadas geniais da autora na resolução do crime e na crítica ao mercado editorial, principalmente aos autores que fazem tudo para aparecer. Tudo isso paralelamente ao que J.K. Rowling sabe fazer de melhor: construir personagens. Todos com seus problemas e vidas acontecendo ao lado da história principal.

Mesmo assim, consegui acertar o assassino. Quem me conhece sabe que detesto não ser surpreendido. Mas por incrível que pareça, fui surpreendido por ter acertado quem havia sido o responsável pela morte do autor. Na minha cabeça, pensei que seria essa pessoa apenas por uma pista em um diálogo. Mas não imaginava que isso acabaria sendo o desfecho da trama.

O Bicho-da-Seda, então, mantém o que o primeiro livro tem de bom e vai além, desenvolvendo o que seus personagens têm de melhor. A narrativa é inteligente, fluída e surpreendente. E por esses motivos, é um livro que não pode faltar na sua estante. Especialmente se você for fã de carteirinha da J.K. Rowling.