Há 20 anos morria Cazuza

Há exatos 20 anos, o Brasil perdia Agenor de Miranda Araújo Neto, mais conhecido como Cazuza. Fica aqui a homenagem do FQ ao cantor rebelde cujos “heróis morreram de overdose” enquanto seus inimigos estavam no poder e contava “segredos de liquidificador”.

Foto do album "Só se for a dois", de 1987

Vida louca vida, vida breve
Já que eu não posso te levar
Quero que você me leve
Vida louca vida, vida imensa
Ninguém vai nos perdoar
Nosso crime não compensa

E quem quiser ouvir um programa de rádio especial sobre o cantor, que fiz no comecinho da faculdade com a minha amiga jornalista Luciana Ribeiro, é só acessar aqui (desconsiderem minha voz de gralha hehehe). Entrevistamos a mãe de Cazuza, Lucinha Araújo, que se emociona ao falar do filho. Também conversarmos com Ezequiel Neves, grande amigo do “Caju”, apelido do infância do cantor, e responsável por parte do sucesso dele. Nelson Motta analisa sua contribuição para a música brasileira, Regina Echeverria – autora dos livros – também faz sua participação. Patrícia Casé conta como era o amigo Cazuza e não o cantor. Vale a pena conferir.

[UPDATE] Coinciência ou não, o produtor e jornalista Ezequiel Neves morreu hoje, aos 74 anos, exatamente no mesmo dia, vinte ano depois, que o amigo Cazuza. Segundo o jornal O Globo, “ele estava internado desde janeiro na Clínica São Vicente, na Gávea. Incansável festeiro, sempre a mil por hora, Zeca, como era chamado pelos mais próximos, conviveu nos últimos cinco anos com um tumor benigno no cérebro, enfisema e cirrose”. Abaixo, uma foto dos amigos juntos: