Rio: mais que uma simples animação

Engraçado, colorido e tocante. Rio é mais uma prova de que as animações deixaram de ser feitas exclusivamente para crianças. Aliás, elas estão tão focadas no público adulto que chegam a tocar em assuntos fora da compreensão infantil como o amor. Rio é, no fundo, uma comédia romântica.

Blu e Jade parecem aqueles casais que se odeiam, vivem às turras e no final se rendem à paixão – motivo que deveria tê-los unidos desde o começo da história.

O roteiro de Rio encanta, faz rir e chega a dar um apertinho no peito em alguns instantes, tão bem amarradas são as cenas, tão convincentes são as personagens. As piadas são boas, nada ridicularizado, nem bobo, tudo adequado ao momento e às situações.

A trilha sonora dá a brasilidade à animação e expõe o samba latente nas cenas. Dá gosto de ser ouvida e percebê-la entrelaçada ao filmes, seja entre tucanos declarando seu amor citando Garota de Ipanema ou nos minutos iniciais durante o balé de pássaros e cores que apresentam o Rio de Janeiro e o protagonista Blu, ainda ararinha-azul bebê, num oco de árvore.

Embora com alguns probleminhas de veracidade – mas ok, é ficção e os gringos nem vão notar – como no caso em que um carro alegórico anda a toda velocidade e faz curvas e mais curvas atrás dos bandidos, o Rio de Janeiro se apresenta bem nos cenários, que mesclam panorâmicas das praias com o Cristo Redentor, a Pedra da Gávea e as apertadas ruas da favela, ponto de tráfico de aves. As calçadas de Copacabana e sua curvas, os quiosques na orla e suas ciclovias. Ah, e também o Carnaval, que aliás, rende as mais belas cenas da animação, na reconstrução do Sambódromo e de um desfile – com muito verde e rosa (sacaram?), e penas, e alas e multidão.

O filme tem a direção do brasileiro Carlos Saldanha. Rodrigo Santoro dubla o personagem Túlio, biólogo responsável por encontrar o paradeiro de Blu nos Estados Unidos, na casa de Linda, que gnha a voz de Leslie Mann. Anne Hathaway dá vida à Jade e Jesse Eisenberg empresta a voz a Blu. Will.i.am é Pedro e James Foxx é Nico, amigos que a ararinha faz no Brasil.

E pra quem não sabe, Rio conta a história de uma ararainha-azul chamada Blu que vai parar em Minessota, nos EUA, por conta do contrabando e precisa voltar ao Brasil para se acasalar com Jade, a última fêmea da espécie. Porém, bandidos os roubam e ambos são acorrentados um ao outro. Eles conseguem fugir, e tudo seria ótimo e feliz não fosse um probleminha de Blu: ele não sabe voar. E a partir daí é que a história fica engraçada, mais colorida e tocante…