Foto: Divulgação/TV Globo

Luan conta que matou rapaz no Complexo do Alemão e polícia diz que vai ao BBB15

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Gente, esse Big Brother Brasil 15 já está superando as nossas expectativas. Se continuar assim, a coisa tende a dar audiência e principalmente dar o que falar. A mais nova polêmica envolve o participante Luan Patrício, ex-militar, e deve acabar com a polícia procurando mais uma vez a casa do BBB.

• Curta o Fica Quietinho no Facebook

Em uma conversa com os brothers, o rapaz contou que quando estava no Exército matou um adolescente de cerca de 16 anos durante uma operação de invasão no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro. Durante o papo, Luan detalhou a história para Marco, o teólogo.

• Siga o @FicaQuietinho no Twitter

Ele, que hoje atua como gerente de um salão de cabeleireiro, disse que tinha 19 anos quando o fato aconteceu. “A primeira vez que eu matei alguém no Complexo do Alemão, eu balancei”, confessou. “Fiquei na linha de tiro, de rifle, dando cobertura para quem estava me seguindo. Acho que ele era mais novo que eu. Eu estava com 19, ele deveria ter uns 16”, continuou apontando o dedo indicador para a testa e fazendo som de tiro.

“Rasgou a cabeça dele e a caixa d’água. Na hora eu tremi. O sargento olhou pra mim e disse: ‘era você ou ele'”, completou. Em seguida, Luan explicou aos companheiros de reality que pediu para sair do Exército para cuidar da mãe que não estava nem de saúde.

Em nota à revista Veja, o Exército, no entanto, nega a morte relatada. Segundo o texto, nenhuma pessoa perdeu a vida no confronto com o 8º Grupo de Artilharia, do qual Luan era integrante.

O delegado Rivaldo Barbosa, porém, quer saber mais detalhes da história e irá ao Projac nos próximos dias para ouvir o ex-militar.

Vale lembrar que a polícia também já esteve na casa do reality durante a acusação de suposto estupro na 12ª edição do programa. Na ocasião, o participante Daniel Echaniz acabou expulso após as câmeras da BBB registrarem imagens que levaram o rapaz a ser acusado de um suposto estupro de vulnerável envolvendo a sister Monique Amin. Vale também lembrar que até agora ele foi inocentado pela Justiça.