Kesha diz ter sido chantageada para mentir sobre Dr. Luke e se livrar de contrato

Kesha diz ter sido chantageada para mentir sobre Dr. Luke para se livrar de contrato

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Gente baixa, safada e sacana existe em todo o planeta. E a prova disso é a chantagem sofrida por Kesha em sua ação judicial contra o produtor musical Dr. Luke. Neste domingo (3), el publicou em seu Instagram uma mensagem relatando o caso.

“Então, me ofereceram liberdade se eu mentisse. Teria que mentir, me desculpar publicamente e dizer que nunca fui estuprada. É isso que acontece atrás das portas fechadas. Eu não vou abandonar a verdade. Prefiro que a verdade arruíne a minha carreira a voltar a mentir por um monstro”, escreveu ela no post.

Kesha preferiu omitir o nome de quem teria feito tal proposta, até porque ela pode ser processada por danos morais caso expusesse o autor e não conseguisse comprovar isso em juízo.

Dr. Luke, através de seu assessor, se manifestou sobre as declarações da cantora. “A Justiça repetidamente disse que Kesha está livre para gravar sem Dr. Luke e que ela não mostrou nenhum fato que sustentasse suas alegações. Isso acontece porque todas as evidências, incluindo o próprio depoimento de Kesha -que foi gravado- são falsas. Kesha só não é livre para continuar a mentir sobre Dr. Luke via golpes de publicidade, ignorando o fato de que por sua própria vontade ela começou a trabalhar com Dr. Luke e assinou novos contratos com ele, anos depois do ‘incidente’ supostamente ter acontecido”, disse o representante do produtor.

No depoimento, o representante diz que Kesha quer apenas ganhar holofotes com esta história, já que anda afastada da mídia. “O objetivo dela tem sido apenas o enriquecimento pessoal ao quebrar e assinar contratos mais lucrativos”, afirmou.

Kesha tenta romper seu contrato com a Kemosabe Record, pertencente a Dr. Luke e que integra o grupo Sony. Além disso, afirma ter sido estuprada, drogada e ter sido estimulada a praticar seus distúrbios alimentares pelo produtor musical.

Em março, ela recorreu da decisão judicial que deu parecer favorável a Dr. Luke, mantendo a artista vinculada à gravadora Kemosabe Records.