Rock in RioFoto: Reprodução

Ivete Sangalo, Pet Shop Boys, 5 Seconds of Summer e Marron 5: minha estreia no Rock in Rio

Se a gente precisasse decidir, neste exato momento, se estaria presente na próxima edição do Rock in Rio, a resposta seria um rápido e óbvio “é claro que sim”. Essa foi a primeira vez que estive no festival – obrigado, Spotify Brasil! – e tudo aconteceu ao som de Ivete Sangalo, Pet Shop Boys, 5 Seconds of Summer e Maroon 5. Ao final dos shows, o veredicto era “tudo bem que não teve Lady Gaga, em 2019 nós estaremos aqui novamente”.

Ausência completamente sentida na sexta-feira, 17, Lady Gaga cancelou o show na véspera por problemas de saúde. Eu tive um micro infarto com a notícia, mas temos que seguir o baile, certo? O público parece ter dado uma broxada com a situação, mas ainda assim, a nova Cidade do Rock não estava vazia não. A estrutura montada na Cidade Olímpica deixou encantado a mim e a cada um dos que estiveram presente. Banheiros de fácil acesso, comida em preços razoáveis, palcos maravilhosamente desenhados e instalados de forma que o som não interferisse um no outro. Uma caminhadinha para comprar cerveja, mas nada que me impedisse de aproveitar.

Antes de começar a falar dos shows, eis aqui a nossa playlist criada lá no Spotify – alô você que ainda não nos segue, vamos lá! – para matar a saudades dos hits que passaram pelo Palco Mundo neste final de semana todo. Dá o play e segue lendo!

Ivete Sangalo

Ivete Sangalo homenageando Lady Gaga cantando um trecho de Bad Romance arrepiou o público do Rock in Rio 2017. Assim como todos ali, a baiana também lamentou a ausência da cantora, mas de forma sensível acalmou o coração dos little monsters. “Como fã dela, eu também fiquei triste”, disse ela. “Não tem coisa que condene mais um artista intimamente do que ter que dizer ao seu fã que não vai poder encontrá-lo. E eu tenho certeza, pela artista que ela é, com a responsabilidade e o amor que eu sei que ela tem pelos fãs dela, ela jamais trataria uma situação de forma irresponsável. Então eu como artista e como colega, eu digo a vocês, o que a gente tem que emanar a ela é energia boa, para que ela venha mais vezes”, concluiu a maravilhosa. E, depois de colocar todo mundo para pular e se acabar no Palco Mundo, a futura mamãe revelou o sexo dos bebês que espera: duas meninas.

Pet Shop Boys

Mas a minha surpresa atende pelo nome de Pet Shop Boys. Que show maravilhoso, que energia e que som! Neil Tennant e Chris Lowe conseguiram me fazer recuperar incrivelmente as forças que gastei pulando no axé de Ivete Sangalo. Enquanto o pessoal parecia realmente se recompor durante Burn, Opportunities e Se a Vida É, as três primeiras canções, foi quando começou West End Girls que a plateia mostrou que estava ali, viva e querendo mais. Mas o show realmente engrena algumas outras músicas depois, quando chega a hora de It’s a Sin. Que performance, senhoras e senhores! Left To My Own Devices com o refrão cantado por geral também foi, me perdoem a expressão, do caralh*.

Eu estava na verdade um pouco chocado comigo mesmo. Não sabia que curtia tanto as músicas desses caras. Neil se emocionou quando novamente um refrão em coro do público o fez parar de cantar e deixar a galera fazer isso por isso. Doming Dancing era o nome da música que precedeu outro grande momento. O final do show foi com Always on My Mind. Não é preciso nem dizer que não havia uma pessoa naquela Cidade do Rock que não conhecia essa letra e que não a berrou a pleno pulmões, certo? Valeu, Neil! Valeu demais, Chris.

5 Seconds of Summer e Maroon 5

Nesse momento, preciso confessor uma coisinha: não assisti ao show dos meninos do 5 Seconds Of Summer. Não porque eu não curta o som deles, mas porque decidi ir ao banheiro e comprar uma cerveja antes de a apresentação começar. Mas, acabei passando pelo palco de música eletrônica e o set estava tão maravilhoso que acabei “perdendo a hora” e ficando por ali. Me perdoe, 5SOS.

De volta ao Palco Mundo, assisti Maroon 5 – mentalmente me lamentando um pouco que era Lady Gaga quem deveria estar ali. Fiquei puto já de cara porque o Adam Levine entrou e não disse sequer uma palavra de apoio à cantora. Na verdade, ele nem tocou no nome da dona do Joanne durante todo o show e eu achei isso o final dos tempos. Mas ok, eram os caras de She Will Be Loved, vamos curtir o show.

Chateado pelo fato de o vocalista não ter tirado a camiseta, a raiva da indiferença dele com Gaga passou quando ele veio com um banquinho e um violão. O boy magya cantou um trecho de Garota de Ipanema em português e eu então o perdoei, rs. O show foi maravilhoso, mas nada muito diferente do que já assistimos em outras apresentações.

Infelizmente, o sinal da internet não me permitiu publicar vídeos, fotos e mais coisas durante o festival. Mas, graças a isso, curti mais os shows quando desencanei de tentar atualizar as redes sociais.

Rock in Rio 2017, seu lindo, você foi maravilhoso. Em 2019 eu quero mais dias, mais shows e mais vezes a sensação de estar em um lugar onde a energia de todo mundo te completa de alguma forma. Seja pelo amor à música, pelo amor ao seu ídolo, pelas surpresas como Pet Shop Boys. Obrigado mais uma vez, Spotify Brasil por ter nos permitido viver tudo isso neste final de semana.