FQ no Rock in Rio | Muse: com muita luz e guitarra é que se faz um bom show de rock

Bom, o Rock in Rio 2013 está quase chegando e para entrar no clima do festival, o Fica Quietinho resolveu fazer algo diferente.. Não, pera! Esse meme tá velho! Resolvemos fazer uma série de postagens especiais sobre os artistas pop/rock que vão ocupar o Palco Mundo nos dias 13, 14, 15, 19, 20, 21 e 22 de setembro.

Para isso, convidamos alguns colaboradores para falar sobre o que esperar da apresentação de cada uma das atrações. É claro que escolhemos aqueles que são, antes de blogueiros, jornalistas, publicitários e afins, fãs do artista em questão. Durantes as próximas semana, a cada dia um texto novo, autor novo, cantores novos. E para dar sequência aos trabalhos, Raquel Lima* fala sobre o Muse. Divirtam-se!

Luzes (muitas luzes), câmera (com muitos telões) e ação! No dia 14 de setembro, uma das bandas que vai tomar o Palco Mundo do Rock in Rio é a britânica Muse, dividindo a programação com nomes do rock alternativo, como Florence and The Machine e 30 Seconds to Mars.

• FQ no Rock in Rio | Pronto para se jogar na balada de David Guetta?

Se você é racional e precisa ser convencido por números e estatísticas, vamos para alguns dados que mostram porque você não pode perder esse show – mesmo se for do sofá de sua casa. A banda, formada em 1994, possui seis álbuns, sendo o último deles (e que deve tomar mais espaço na apresentação) o The 2nd Law, lançado em outubro de 2012. Na lista de quase 40 prêmios, estão: cinco MTV Europe Music Awards, cinco Q Awards, nove NME Awards, dois Brit Awards e um American Music Awards. Tá bom para você? Ah, eles também foram nomeados para três Grammys, ganhando o de Melhor Álbum de Rock por The Resistance.7, em 2011.

Já são mais de 15 milhões de cópias vendidas em todo o mundo e adivinha qual banda foi dona da canção oficial das últimas Olimpíadas, lá em Londres em 2012? A música Survival foi escolhida e o Muse foi uma das principais atrações da cerimônia de encerramento dos jogos. God save the queen… And THE MUSE!

Na terra brazuca, a banda já tocou no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Brasília com a turnê do álbum Black Holes & Revelations, em 2008, e abriu os shows do U2 em São Paulo, durante a turnê 360º, em 2011, em 45 minutos muito pequenos para as extravagâncias e talento de Matthew Bellam (vocal, guitarra e piano), Christopher Wolstenholme (baixo, voz secundária e teclado) e Dominic Howard (bateria e percussão).

Assim, nenhuma destas apresentações teve a magnitude que terá a do Rock in Rio e possibilitará um espetáculo completo, digno do Muse. Aí, nós chegamos as razões emotivas para você assistir a este show – mesmo que seja comendo uma pipoca de microondas e incomodando o seu vizinho chato.

Tirando o "sucesso númerico", você também deve ser comovido por uma banda com músico que sobem em torres, robôs gigantes no palco, OVNIs na platéia e dedica muitos efeitos de luz para acompanhar os acordes eletrônicos de guitarras, além de telões e mais telões espalhados pelo palco e empilhados formando uma pirâmide.

No meio dos gritos afinados de Matthew e Christopher, que acompanham os solos das guitarras iluminadas por leds (lógico!) e com o Kaoss Pad embutido, que é um mini painel com controle touch para efeitos sonoros, há ainda belas pausas regadas por acordes clássicos de piano. Rock alternativo, música eletrônica e acordes de clássico em shows sempre empolgantes e com surpresas, características que fazem do Muse uma das "best live band" atuais, que merece ser vista, curtida, pulada e gritada.

Seguindo o formato de festivais, a apresentação deverá ter cerca de 20 músicas. O setlist da banda tem sido bastante regular, mas pode apresentar surpresas como músicas do início da carreira da banda; em entrevistas para a produção do próprio festival, integrantes chegaram a admitir que colocarão no setlist músicas de todos os álbuns.

Inclusive, há um elemento curioso quando o assunto é setlist durante o show: uma roleta gigante, formada pelos telões, escolhe a próxima música a ser tocada. Se o improviso é verdade ou não, há quem duvide, mas o efeito já vale a pena.

Além disso, a apresentação no Rock in Rio é uma das últimas do ano da banda e deve marcar o encerramento de um longo período de shows (98 apresentações da turnê The 2nd Law até setembro de 2013!) e a abertura de um período sabático dos palcos para produzirem seu novo álbum. Fica o gostinho aí com o trailer da turnê deles:

Possível setlist:

– The 2nd Law: Unsustainable

– Supremacy

– Bliss

– Supermassive Black Hole

– Panic Station

– Resistance

– Plug in Baby

– Animals

– Sunburn

– Falling Away with You

– Follow Me

– Liquid State

– Madness

– Time is Running Out

– Stockholm Syndrome/ New Born

– Yes Please/ Agitated

– Starlight

– Survival

– Uprising (com certeza é no Bis!)

– Knights of Cydonia (com certeza é no Bis também!)

* Raquel Lima é atriz e jornalista