Aretuza LoviFoto: Divulgação

FQ Entrevista | “Me enche de alegria ver drags fortalecendo a cena musical”, comemora Aretuza Lovi

O que começou apenas como uma brincadeira lá em 2012, em Brasília, vem ganhando o país todo. Atualmente ela é a dona do mega hit Joga Bunda, mas tem muito mais vindo por aí. Estamos falando de Aretuza Lovi, drag queen de 27 anos, que está prestes a lançar seu primeiro álbum. Mercadinho chega às plataformas digitais ainda em 2018 pela gravadora Sony Music – um reflexo do cenário atual da música pop.

Siga o Fica Quietinho no Instagram

O universo LGBT vem mostrando sua força e diversas canções relacionadas ao meio marcam presença hoje entre as mais tocadas de todas as playlists. Na linha de frente dessa conquista estão as drags cantoras como Pabllo Vittar, Lia Clark, Gloria Groove e Aretuza Lovi que não têm medo algum de subir no salto, bater o cabelo e acabar com o preconceito.

Foto: Divulgação

Com inspiração nos múltiplos ritmos brasileiros, Aretuza é cheia de estilo e chegou para colocar todo mundo para rebolar. Vem conferir esse bate-papo maravilhoso que tivemos com ela. A loira nos contou quase todo os segredos – spoiler: já sabemos tudo sobre as parcerias do disco!!! –  e preparem-se, porque ao final temos uma surpresa para vocês.

Curta o Fica Quietinho no Facebook

Fica Quietinho – A Aretuza Lovi de 2012 imaginava ser o sucesso que é hoje e chegar aonde está?
Aretuza Lovi – Não! Tudo começou de forma muito natural, na vida eu sempre faço tudo com muita vontade, com amor e foco e assim as coisas vão acontecendo.

FQ – A música sempre fez parte da sua vida? Quais são suas principais referências e influências musicais?
Aretuza – Sempre fui apaixonada por música, desde pequena eu sempre consumi muita música. Tive oportunidades de trabalhar com a produção de alguns artistas no Nordeste, e isso me despertou ainda mais a vontade de estar e viver no meio. Minhas referências são totalmente brasileiras, somos muito ricos cultural e musicalmente e eu busco mergulhar no nosso som.

FQ – Como é o seu processo criativo na hora de compor? De onde vem a inspiração para as letras?
Aretuza – As letras e melodias surgem do nada, quase uma psicografia (risos). Não me forço a compor, tudo acontece espontaneamente. Gosto de passar nas minhas letras situações do cotidiano, referências às danças brasileiras.

FQ – Sua primeira música, Striptease, foi lançada em 2012 – época na qual dificilmente alguém ia imaginar uma drag queen entre as mais tocadas das paradas de streaming musical. Como foi acompanhar e fazer parte desse processo de evolução e aceitação musical no qual hoje temos drags em rede nacional, ganhando prêmios, tocando nas rádios e participando de festivais?
Aretuza – Olhando para atrás, passa um filme na minha cabeça de muita batalha e dedicação. Porém, quando você ama o que faz, tem foco e não absorve a negatividade, tudo acontece. Realmente o mercado era outro, as oportunidades eram outras, as pessoas muito fechadas para o novo. Fico imensamente feliz de fazer parte dessa história, sei que tem um dedinho meu lá nessa evolução musical. E hoje, vendo tudo que está acontecendo, me enche o coração de alegria em saber que muitos desgastes foram validos e que estamos nos fortalecendo em uma cena forte na música.

FQ – Como foi participar do programa Amor & Sexo e estar em rede nacional na principal emissora do país?
Aretuza – Foi lindo e de grande aprendizado! Lá eu aprendi a ter mais postura tanto na minha arte quanto na vida pessoal. Conheci amigos que vou carregar para vida toda. O programa me despertou a vontade de nunca desistir. Sou muito grata por tudo, teve sim muita visibilidade e eu agarrei todas as oportunidades oferecidas.

FQ – Qual o sentimento de estar hoje gravando um álbum, Mercadinho, em uma gravadora de renome internacional?
Aretuza – É de muita gratidão e também responsabilidade. Fazer parte da família Sony Music é incrível, eles me receberam de braços abertos e estamos realizando um trabalho lindo juntos. Nossa história está sendo linda.

FQ – Aproveitando o assunto: pode nos adiantar algo sobre ele? Teremos mais parcerias? Alguma previsão de lançamento? Estamos morrendo de curiosidade!
Aretuza – O álbum está lindooooo! Tem música para todos gostos, traz muito a minha verdade a minha essência. Fiz parceria com amigas que eu amo e que fazem parte da minha vida e história. Tem Solange Almeida, IZA, Valesca Popozuda… Já definimos a data de lançamento, mas por enquanto tenho que manter em segredo. Só digo uma coisa: preparem-se, pois o meu Mercadinho está prestes a abrir suas portas (risos).

FQ – Voltando ao assunto da ascensão da cultura drag – você passou pelo ‘boom’ que foi a popularização de RuPaul’s Drag Race no Brasil. O programa abriu portas para a cena drag tanto lá fora quanto por aqui. Como foi isso para você?
Aretuza – RuPaul’s Drag Race é um fenômeno sem sombra de dúvidas. É muito bacana ver a arte drag se expandindo aqui no Brasil. Acho o reality maravilhoso e ele escancarou ainda mais tudo sobre as drags. Porém, vale ressaltar que a cultura drag aqui no Brasil é forte há muitos anos e cheia de artistas maravilhosas que abriram muitas portas para nossa cultura e, às vezes, a nova geração não busca saber quem é! Artistas como Andreia de Maio, Miss Bia, Marcinha do Corinto, entre outras, que lá atrás onde era mais difícil deram a cara para bater para que essa cultura se mantivesse viva  para a gente estar aqui hoje.

FQ – E muito se fala sobre a versão nacional do reality: você teria vontade de participar, seja como competidora ou jurada? Quem gostaria de ver no projeto?
Aretuza – Participaria sim! Não como competidora, mas se rolasse o convite aceitaria fazer alguma participação. Difícil falar alguns nomes, pois tem tanta gente talentosa que gostaria de ver brilhando…

FQ – Joga Bunda já chegou como aposta certa para hit do Carnaval e com um clipe maravilhoso. Conta aí como aconteceu tudo, desde a composição da letra, quem convidar para a parceria, gravar as cenas…
Aretuza – Eu, Pabllo e Gloria sempre tivemos uma vontade de realizar um projeto juntas, mas acreditamos que tudo acontece na hora certa. Nós fizemos juntas a campanha de uma marca e saíram na mídia fotos nossas juntas. A galera ficou fervorosa pensando que era um clipe. Meus produtores musicais me apresentaram a letra e eu me apaixonei e eles se inspiram nas três para compor a música. Fiz o convite e as meninas prontamente aceitaram! Gravamos e a música ficou maravilhosa. Precisávamos imprimir ainda mais personalidade naquela música e decidimos gravar o clipe – que tem roteiro e direção de Felipe Sassi e stylist de Biancha Jahara e meu também. Viajamos muito e buscamos referencias lúdicas em uma história super legal que é o cinema. Não deu outra! O clipe ficou lindo e aceitação do trabalho está sendo incrível.

FQ – Esta é sua segunda parceria com a Gloria Groove, correto? Vocês são amigas faz muito tempo?
Aretuza – Fizemos Catuaba juntas e agora Joga Bunda! A Gloria é mais que minha amiga e parceira, ela é minha irmã, divido com ela tudo da minha vida tanto pessoal quanto profissional, ela é uma das pessoas que mais me conhece. Sou muito grata também, ela me ajuda e me ensina muito. No conhecemos no Amor & Sexo e de lá para cá não nos desgrudamos.

FQ – Hoje, cada dia mais temos drags cantoras. Em tempos que sororidade na música pop é assunto a todo o momento como é isso no universo drag? Como é sua relação com as outras artistas?
Aretuza – É lindo ver o mercado e a cultura de drags cantoras numa crescente, somos muito parceiras, amigas e pode ter certeza que tem espaço para todas. Juntas nos completamos!

FQ – Se pudesse escolher um artista internacional para fazer um featuring quem você escolheria? E aqui do Brasil?
Aretuza – Escolheria Gwen Stefani, eu a amo e algumas pessoas dizem que somos parecidas fisicamente. Nossa, aqui Brasil são tantas parcerias que eu queria fazer… Mas entre todas elas gostaria muito um dia de cantar com a Elba Ramalho.

FQ – Para finalizar: qual conselho daria para você quando criança se pudesse voltar no tempo?
Aretuza – Diria para não dar abertura para pessoas que te colocam para baixo, não deixar abalar pequenas coisas e nunca desistir dos seus sonhos.

E como o Carnaval está cada dia mais perto, convidamos a Aretuza Lovi para criar uma playlist especial para colocar todo mundo para jogar a bunda! A drag selecionous as suas músicas favoritas para a folia desse ano e criou essa lista babadeira que você pode curtir no nosso perfil do Spotify <3

Não esquece de seguir a gente por lá e compartilhar esse #hino de playlist 😉