Divulgação Lollapalooza BrasilDivulgação Lollapalooza Brasil

Em seu primeiro dia de festa, Lollapalooza Brasil passa com nota máxima na prova

A edição de 2018 do festival Lollapalooza Brasil é a mais ambiciosa até o momento – três dias de programação no Autódromo de Interlagos – e se depender do primeiro dia, vai ser também a melhor. Apesar de não ter esgotados seus ingressos (sábado e domingo já não possuem mais entradas disponíveis) artistas e organização não pouparam esforços para dar ao público a melhor experiência possível.

Não se tinha filas para comprar bebidas, comidas ou usar os banheiros – todos equipados com pias, amém! – e se locomover entre os palcos não foi uma tarefa difícil. Uma das novidades desta edição foi a realocação do palco AXE, que agora fica bem próximo ao ONIX o que se mostrou uma decisão muito bem acertada… Pelo menos neste primeiro dia.

Podemos dizer que a sexta-feira, 23, foi um test drive. O Lollapalloza vai passar pelo seu teste real/oficial hoje e manhã, com lotação máxima de espaço. Mas não deve enfrentar grandes dificuldades.

Zara Larsson se apresentou no palco AXE

Som na caixa!

Nos palcos, artistas nacionais e internacionais mostraram garra e talento para conquistar o público. Com um número ainda pequeno de pessoas no local, Vanguart foi uma das primeiras bandas a se apresentar no Lolla. Debaixo de um forte sol, o grupo de Cuiabá apresentou seus maiores sucessos destes mais de 10 anos de estrada. Em seguida, Rincon Sapiência com suas rimas rápidas e batidas viciantes foi o responsável por animar o público – e surpresa: a maravilhosa IZA se juntou ao artista para apresentarem pela 1ª vez Ginga, parceria dos dois lançada ontem.

Já com um público bem mais numeroso, a dupla Oh Wonder fez um show redondo e muito bom. Não faltou carisma e talento para Josephine e Anthony, que já prometeram voltar o quanto antes ao país. A sueca Zara Larsson era uma das atrações mais esperadas do dia e apresentou seu pop dançante com direito a muita coreografia, reboladas e uma linda homenagem à Marielle Franco.

Já de noite, LCD Soundsystem fez o melhor show do primeiro dia Lollapalooza. Com seus sintetizadores, batidas dançantes e um estilo exótico o grupo mostrou vigor e conquistou a todos com sua mistura de rock e música eletrônica. Foi impossível ficar parado.

Anthony Kiedis <3

Joga a mão pro alto e frita

E como somos fãs de eletrônica, fomos até o palco PERRY para conferir a dupla Galantis. É notável que a cada ano que passa tanto o Lolla como o público dão mais e mais valor ao gênero. O palco é quase o mesmo utilizado no ano passado – com seus efeitos de luz no formato de colmeias – mas o espaço designado ao público dobrou de tamanho… E encheu!

Galantis fez um set certeiro, misturando seus hits com mixagens de músicas amadas pelo público e mostrando como se faz um show de eletrônica. O mesmo já não pode se dizer do Red Hot Chili Peppers.

Não que o show não tenha sido fantástico, mas talvez falte a Anthony Kiedis e cia. conhecimento (ou vontade) de entender um público de festival ao montar o setlist. Clássicos como Californication, Under The Bridge e Give It Away estavam lá, mas o show como um todo foi muito mais direcionado a quem era genuinamente fã do grupo do que a um público de festival que está ali também por eles, mas não unicamente… Mas nada que tenha atrapalhado o brilhantismo que foi o primeiro dia do Lolla.