Pearl Jam LollapaloozaDiego Padilha | I Hate Flash

Em alto e bom som, Pearl Jam coroa o segundo dia de Lollapalooza Brasil

Com ingressos esgotados e mais de 100 mil pessoas ávidas por riffs de guitarras e músicas que sabiam de cor, o segundo dia de Lollapalooza Brasil foi guiado pelo elemento principal de um festival – o som.

Logo cedo, Liniker se apresentava quando subitamente o som falhou. E bem no meio de Zero, um de seus maiores sucessos. O público terminou a música pelo artista em um lindo coro. Mas os problemas técnicos não permitiram que o show fosse continuado e Liniker teve que deixar o palco sem terminar sua apresentação. Não cabe a nós apontar dedos e julgar quem é culpado ou não, mas esperamos sinceramente um convite por parte do Lolla para que ela volte a se apresentar no ano que vem.

Siga o Fica Quietinho no Instagram

Passado este desconfortável momento, o festival seguiu com shows de O Terno, Kaleo e Anderson .Paak. Enquanto Mac Miller fazia um show morno no palco PERRY – e olha lá o som sendo protagonista novamente: o microfone do artista ficou desligado durante toda a 1ª música – David Byrne fez um show/performance que deixou a todos com um grande ponto de interrogação na cabeça. The National trouxe seu rock depressivo para o palco BUDWEISER enquanto Mano Brown arrasava nas rimas no palco AXE.

Lindo, tesão, bonito e gostosão

O muso do festival <3 (Divulgação Lollapalooza)

O começo da noite chegou com um dos shows mais esperados: a banda Imagine Dragons. Liderada pelo vocalista Dan Reynolds, que já na segunda música tirou a camisa e hipnotizou a todos com seu corpo definido, o grupo sai dessa edição do festival como o mais queridinho do público. E com razão: com um show redondo, pontuado por discursos de aceitação, respeito e mensagens positivas, o Imagine Dragons apresentou todos os seus hits e transpirou energia – que foi retribuída em tamanho igual pelo público.

Mas sorte de quem ficou mais próximo ao palco, pois além de ter visto o muso Dan Reynolds de pertinho pode ouvir toda a potência sonora do grupo. O palco ONIX voltou a ser assombrado pelo fantasma do som. Quem ficou mais afastado do palco teve que se contentar com caixas de som de potência baixa e perdeu parte da energia e potência que o grupo ofereceu. Se o Imagine Dragons vai voltar para algum Lollapalooza futuro? Com certeza… E como headliner. Anotem!

E por falar em boy magya, logo após o grupo encerrar sua apresentação foi a vez do DJ Kygo animar o público. Com seu jeito de menino tímido e um set que acertou em cheio os fãs ali presentes – teve de Alok a Marvin Gaye – Kygo conquistou com seu show de luzes, efeitos especiais e som no último volume!

A realeza do rock

Eddie Vedder durante apresentação do Pearl Jam (Divulgação Lollapalooza)

Para encerrar a noite: Pearl Jam. Com caixas de som no último volume e uma energia e presença de palco impressionantes, o grupo apresentou um setlist perfeito para festival. Misturando grandes sucessos como músicas mais recentes – e um delicioso cover de Comfortably Numb, do Pink Floyd – Eddie Wedder arriscou frases em português, interagiu com o público e dominou o fim da segunda noite de Lolla.

Uma aula de rock que mostrou que o grupo ainda tem muito a nos oferecer. Decisão acertadíssima de headliner!