Foto: ReproduçãoFoto: Reprodução

Dois anos sem Prince | Médico acusado de receitar opióide ilegalmente pagará multa de R$ 100 mil

No próximo sábado, 21 de abril, fará dois anos da morte de Prince. Um dia triste para a história da música, certamente. E foi praticamente esse tempo que levou para que um médico acusado de receitar ilegalmente um opióide para o cantor fosse condenado.

Siga o Fica Quietinho no Instagram

As informações são de agências internacionais. Segundo elas, Michael Todd Schulenberg concordou em pagar uma multa de US$ 30 mil – cerca de R$ 100 mil – para fechar um acordar no processo de violação civil. O acusado teria prescrito um opióide sintético ao cantor uma semana antes do seu falecimento.

Ninguém foi acusado criminalmente pela morte de Prince até hoje. Os procuradores que investigam o caso devem anunciar em breve se alguém irá responder na Justiça pela morte do dono de Purple Rain. Schulenberg tem 30 dias para fazer o pagamento da multa ao governo dos Estados Unidos. Além disso, com o acordo, ele aceitou ser submetido a um controle mais rigoroso de suas prescrições e também terá de permitir inspeções periódicas do seu trabalho. Ele não terá seu registro cassado.

As investigações

Prince morreu aos 57 anos, vítima de overdose acidental de fentanil, um medicamento opióide sintético. A necropsia revelou que a morte foi causada por uso excessivo da substância. Os efeitos do remédio chegam a ser 50 vezes mais potentes que a heroína. Os investigadores do caso tentam descobrir como o analgésico chegou ao cantor.

Curta o Fica Quietinho no Facebook

Schulenberg é suspeito de ter prescrito um remédio com oxicodona, um forte analgésico, para Prince, mas não fez a receita em seu nome. O medicamente teria sido indicado para Kirk Johnson, um dos seguranças do cantor. De acordo com documentos da investigação, essa era uma maneira de “preservar a privacidade” do astro do pop. No entanto o advogado do médico rejeita essa versão dos fatos.

Segundo o Centro Americano para Prevenção e Controle de Doenças, a oxicodona – embora não esteja na lista de substância que levaram Prince à morte – faz parte de uma série de potentes analgésicos que levam os Estados Unidos a uma epidemia de viciados e também overdoses.