Foto: Reprodução/Arte: Fica Quietinho

“Conheço essa música de algum lugar”! Seja bem-vindo à playlist dos samples

Começa a tocar aquela música, você levanta os braços, começa a cantar e… Opa! Pera aí, eu acho que já ouvi isso em algum lugar! E já ouviu mesmo: grandes hits do mundo da música se utilizaram de samples de outras músicas e isso é muito mais comum do que você possa imaginar.

Siga @FicaQuietinho no Instagram

Muitos artistas e bandas se utilizam de samples de sucessos do passado para criar um novo som, uma nova música, um novo hit. Sample, em inglês, significa amostra e no meio musical o termo é empregado para designar quando um cantor, por exemplo, utiliza algum trecho (como melodia, letra, ritmo) de outra canção na sua composição.

Quem não se derrete com Wild Thoughts do DJ Khaled com a Rihanna? Aquela guitarra é viciante. Pois bem, agradeçam ao mestre Santana: ele é o compositor original de Maria Maria, música da qual Wild Thoughts pegou o ritmo emprestado.

Técnica bastante comum

Surpreso? Então ouve essa aqui: Crazy In Love, da Beyoncé, é um hino que faz qualquer um performar ao se ouvir os saxofones que abrem a música. A pista vira uma passarela. Mas muito antes da nossa Queen B tornar esse instrumental mundialmente famoso, o grupo de soul The Chi-Lites incendiava as discotecas com Are You My Woman (Tell Me So).

Curta o Fica Quietinho no Facebook

E não é só no mundo pop que isso acontece. Nomes como Arcade Fire, Coldplay, The Weeknd, David Guetta, M.I.A. e até a drag Lia Clark já utilizaram esta “técnica”.

Mas cuidado para não confundir com plágio, são coisas diferentes. Quando um artista utiliza o sample de uma música, ele tem autorização dos compositores, interpretes e gravadoras para fazer isso.

Aproveitando o tema, preparamos uma playlist no nosso perfil do Spotify para que você conheça casos como esse. Já Não Ouvi Isso Antes? traz diversos sucessos seguidos da música de onde seus samples foram retirados. Aperte o play, aproveite e compartilhe com seus amigos!