The KillersCrédito: Reprodução

Com show de luzes, hits e muito glam rock, The Killers encerra o melhor dia do Lollapalooza Brasil

Um é pouco. Dois é bom. Três é sensacional. O Lollapalooza Brasil encerrou sua 7ª edição ontem, 25, com um dia repleto de shows memoráveis e provando que o festival é um dos melhores no país e ainda tem muito fôlego para continuar.

Sob um forte sol – que fez questão de aparecer durante os três dias de festa e não deixou uma gota de chuva cair sobre o Autódromo de Interlagos – o terceiro dia de Lolla começou com um show delicinha da Mahmundi: good vibes para um dia que estava apenas começando. Logo depois foi a vez do duo Sofi Tukker conquistar o público. Mesmo com seu show relativamente cedo, a dupla levou um número alto de pessoas até o palco ONIX e botou para quebrar com sua sonoridade única e envolvente. Sophie Hawley-Weld e Tucker Halpern esbanjaram simpatia, convidaram o público a subir ao palco e dançar com eles e revelaram que gravaram uma parceria com Pabllo Vittar. A drag não pode participar da apresentação pois está se recuperando de uma cirurgia, mas já podemos adiantar que Energia – música do Sofi Tukker – irá ganhar em breve os vocais da artista!

Siga o Fica Quietinho no Instagram

Enquanto Tiê apresentava as músicas de Gaya no palco AXE – mais um show good vibes pra conta – Milky Chance conquistava uma multidão no palco principal. A banda apresentou sou rock/folk com maestria e conquistou pela simpatia e sonoridade afinadíssima. Já o Metronomy trouxe os anos 80 de volta ao festival com um show animado e um público tímido.

Créditos: Eduardo Magalhães | I Hate Flash

Rebola essa [email protected]

No meio da tarde foi a vez do Tropkillaz colocar todo mundo pra rebolar muito. Com participação da cantora Anitta através de um vídeo no telão – claro que rolou Vai Malandra no setlist – e anúncio de uma parceria com o Major Lazer e MC Kevinho, o show dos DJ’s levou o clima dos “bailes de favela’ ao público engomadinho/hipster do Lolla. Teve proibidão, teve rap, teve black, muito funk e foi muito bom.

Curta o Fica Quietinho no Facebook

No PERRY – palco dedicado à música eletrônica – o trio de DJ’s do Cheat Codes animou o público com um set redondo, mas sem grandes surpresas ou novidades. Já no começo da noite um Liam Gallagher esforçado em transmitir simpatia fez uma apresentação ótima, com direito a hits do Oasis para delírio do público.

Os reis (e rainha) da noite

Já de noite era hora de conferir os dois shows mais esperados desta edição do Lollapalooza. Com um público que lotou todos os espaços disponíveis na região do palco ONIX, a cantora Lana Del Rey teve uma das apresentações mais cantadas a pleno pulmões pelos fãs.

Crédito: Reprodução

O público foi presenteado com um show lindo. Lana esbanjou simpatia, interagiu com os fãs (rolou até selinho em um deles), fumou no palco e até brincou sobre a polêmica com o Radiohead. No setlist, incluiu músicas a pedido dos fãs e apresentou um mix competente de todos seus álbuns já lançados. A sequência de Bornt To Die, Blue Jeans e National Anthem levou o público ao delírio.

Com estilo sexy, Lana ainda fez pequenas coreografias, cantou sentada em um balanço e se mostrou muito mais madura em relação à sua última passagem pelo país, em 2013, quando já havia feito um show primoroso.

E para encerrar, The Killers não poupou os corações dos fãs e fez um show belíssimo. O grupo de rock de Las Vegas não vinha ao país a quase 5 anos – fato que o vocalista Brandon Flowers prometeu não deixar se repetir – e fechou o festival com chave de ouro.

The Man foi a faixa escolhida para abrir a apresentação e se mostrou um dos grandes sucessos do último álbum lançado pelo grupo – o Wonderful, Wonderful. Em seguida as clássicas Somebody Told Me e Spaceman mantiveram a animação do show. Brandon Flowers mostrou muita vitalidade e que é realmente um showman. Com seu estilo glam rock (ainda mais evidente com seus paletós cravejados de strass e brilhantes), o galã mostra pelo domínio do palco.

Crédito: Reprodução

No meio do show uma surpresa: a apresentadora do canal Multishow, Dedé Teiche, foi convidada para subir ao palco e tocar For Reasons Unknow com a banda. Ela arrasou na bateria e levou o público ao delírio.

Run for Cover, Human, Smile Like You Mean It e Read My Mind foram apenas alguns dos hits escolhidos a dedo pelo grupo para tornar a apresentação memorável. No bis, When You Were Young e Mr. Brightside foram as responsáveis por levar o público às lágrimas e fazer com que Interlagos fosse tomado por um coro de vozes único. Junto ao telão e projeções de luzes super tecnológicas, o grupo se despediu do público com uma cascata de fogos dourados ao fundo do palco em um dos momentos mais lindos de todo o Lollapalooza.